Seja bem vindo visitante do site da rádio gospel mais ouvida. A Rádio Filadélfia tem prazer em recebê-lo aqui, continue com a nossa programação, com certeza tem muito mais música pra você.
 
* Nome: * Email:
Telefone: * Cidade:
Mensagem:
 
 


Próximos Eventos
Nenhum evento nos próximos dias!


Victor Ribeiro

Uma cantora chilena foi expulsa da estação Shopping do Metrô de Brasília, na noite de quarta-feira (8). Um vídeo postado nas redes sociais nessa quinta-feira (9) mostra o momento em que dois seguranças se aproximam e desligam a caixa de som que ela usava para cantar. A mulher fica nervosa e dá um chute na perna de um dos vigilantes. Em seguida, eles derrubam, imobilizam e algemam a cantora. A chilena grita, perguntando o que estava acontecendo.


Alguns passageiros pararam para acompanhar a abordagem e criticaram a ação dos seguranças. Os vigilantes decidem, então, tirar a mulher do local. Com as mãos algemadas para trás, a cantora reclama de dores, enquanto os agentes do metrô forçam o braço dela para cima, aumentando a dor.


Em nota, o Metrô lamentou o ocorrido e alegou que os seguranças tentaram dialogar, mas foram agredidos pela artista. A ação dos agentes envolvidos será averiguada pela companhia. O decreto que regulamenta o Metrô proíbe o funcionamento de rádios e outros aparelhos que atrapalhem o serviço interno de sonorização. Por isso, de acordo com a companhia, todas as apresentações musicais precisam ser autorizadas pela empresa.

Nacional Informa.

Postado em 10/02/2017 às 13:51

Ana Cristina Campos

* A participação da repórter foi ao vivo. 

 

A Polícia Militar do Espírito Santo indiciou 703 policiais militares (PMs) pelo crime de revolta. Se condenados, a pena é de 8 a 20 anos de detenção em um presídio militar e os PMs serão expulsos da corporação.

 

Esses policiais tiveram o ponto cortado desde o último sábado (4) e não vão receber salário.

 

O secretário de Segurança Pública, André Garcia, informou que eles foram indiciados pelo crime militar de revolta por estarem armados e aquartelados nos batalhões.

 

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Nylton Rodrigues, disse que o número de indiciamentos “com certeza” irá aumentar muito.

 

Segundo ele, o Comando da Polícia Militar identificou que os homens que estão participando do movimento grevista são os que têm menos tempo de serviço na corporação.

 

O secretário de Segurança também afirmou que o governo está identificando, por meio de imagens, as mulheres e os parentes que estão participando das manifestações e bloqueiam a entrada dos quartéis para evitar a saída das viaturas.

 

O objetivo é responsabilizar civilmente essas pessoas. A relação dos parentes que estão à frente do movimento será encaminhada para o Ministério Público Federal.

 

O secretário de Segurança Pública disse que as tropas das Forças Armadas e da Força Nacional não serão mobilizadas em um primeiro momento para retirar as mulheres que bloqueiam a entrada dos batalhões, mas não descartou essa possibilidade.
Nacional Informa.

Postado em 10/02/2017 às 13:47

Graziele Bezerra

A região do Juruá, no Acre, que abrange os municípios de Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima e Rodrigues Alves, fechou o mês de janeiro com mais de 2.100 casos de malária. 


Este número representa mais que o dobro dos 3.700 casos registrados em todo o ano passado. 


Historicamente, a região é endêmica, ou seja, as notificações da doença são comuns durante todo o ano. Segundo a gerente da Vigilância Epidemiológica do Estado, Eliane Alves, as chuvas rigorosas, no ano passado, contribuíram com o alastramento das infecções.


A gerente também destaca o atraso na entrega de medicamentos e inseticidas, o que atingiu diretamente o tratamento e o combate ao mosquito.


O fornecimento foi interrompido em outubro do ano passado e teve reinício em janeiro deste ano. 


A malária tem cura, mas pode evoluir para suas formas mais graves em poucos dias, chegando à morte se não for tratada a tempo. É aí que mora mais um problema. Eliane Alves revela que muitos pacientes acabam desistindo do tratamento. 

 


O Ministério da Saúde ainda não esclareceu à nossa reportagem sobre o atraso na entrega dos medicamentos contra a malária, mas a própria chefe da vigilância epidemiológica garantiu que o fornecimento deve ser regularizado até o final deste mês.

Radio Nacional informa.

Postado em 08/02/2017 às 13:32

Apresentação Dílson Santa Fé

Postado em 31/01/2017 às 12:07
Enquete
Você é a favor da onda de protestos que têm acontecido nas cidades brasileiras?

Não
Sim
Talvez
     

Rádio e TV Assista
Rádio e TV - Rádio Filadélfia 106
Clique e Assista!
PATROCÍNIOS
FOTOS RECENTES